Dia de campo on-line apresenta a Fazenda do Futuro

As porteiras virtuais do centro de inovação e ciência aplicada de ruminantes da DSM, na fazenda Caçadinha, foram abertas a participantes do brasil e do exterior, para mostrar as tecnologias da pecuária 4.0

Mylene Abud

Imagine acompanhar em tempo real o consumo de ração individual de cada animal do confinamento, o ganho diário de peso e os hábitos de ingestão da dieta, entre outros dados. E poder tomar decisões imediatas, corrigindo as não conformidades e garantindo o lucro no final do confinamento ou semiconfinamento. Pois a Fazenda do Futuro já é uma realidade e pôde ser conhecida pelos participantes do primeiro Dia de Campo Virtual Tortuga®, com visita ao Centro de Inovação e Ciência Aplicada de Ruminantes da DSM. Localizado na Fazenda Caçadinha, em Rio Brilhante/MS,  o Centro é um verdadeiro campo de testes das soluções da empresa em nutrição de precisão e dispõe das tecnologias de ponta no âmbito da pecuária 4.0.

“O Centro de Inovação e Ciência Aplicada de Ruminantes da DSM é um local para comprovar as pesquisas da empresa na prática. Ali são realizados vários trabalhos em parceria com universidades renomadas, em que mestrandos e doutorandos comprovam suas teses. Fora os estagiários, que aprendem mais sobre o dia a dia da fazenda”, disse Sergio Schuler, vice-presidente de Ruminantes da DSM, na abertura do Dia de Campo, referindo-se às várias tecnologias futurísticas em teste ali.

Como, por exemplo, um projeto inovador, conduzido pela DSM em parceria com a Universidade de Wisconsin (EUA), que utiliza câmeras instaladas acima do bebedouro para tirar fotos que, em conjunto com chips nos brincos dos animais e com o apoio de algoritmos, tornam possível mensurar o peso do animal. Já em outro experimento, câmeras em cima da linha de cocho do confinamento permitem a identificação da quantidade de alimento disponível aos bovinos e o comportamento desses animais ao longo do dia. Com o uso de algoritmos e de machine learning (aprendizado de máquinas), essa tecnologia sugere a quantidade de alimento a ser ofertado, permitindo reduzir o desperdício, otimizar os custos do manejo nutricional e maximizar o desempenho animal, gerando maior rentabilidade para os pecuaristas. Ou seja: no Centro de Inovação e Ciência Aplicada de Ruminantes da DSM, o futuro já chegou!

DIA DE CAMPO VIRTUAL
Realizado pela primeira vez no formato on-line, o Dia de Campo da Fazenda Caçadinha reuniu mais de 1.400 participantes do Brasil e do exterior, um aumento de público expressivo em relação ao evento presencial, que costuma receber de 150 a 200 pessoas.

Após a abertura oficial, Roberto Freitas, gerente-geral da Fabiani Agropecuária, propriedade na qual se encontra a Fazenda Caçadinha, deu as boas-vindas aos participantes e promoveu um tour virtual à fazenda-modelo. Com área total de 12.815 hectares, a Agropecuária Fabiani conta com um rebanho de 16.000 cabeças, trabalha com o ciclo completo – cria, recria e engorda – e faz Integração Lavoura-Pecuária.

Em seguida, Lucas Oliveira, gerente de categoria de gado de corte da DSM, apresentou detalhes da criação de bovinos e do semiconfinamento da Agropecuária Fabiani com o uso das tecnologias nutricionais da empresa. “Citando como exemplo apenas o grupo de recria dos machos, da apartação até a entrada no confinamento, em cerca de oito meses, os animais estão apresentando um resultado positivo de R$ 505 por animal e foi registrada uma rentabilidade de 1,38% ao mês com base em tecnologia, genética, manejo e nutrição. Não tem nada no Brasil que chegue perto desse investimento”, afirmou, ressaltando que essa categoria animal da Agropecuária Fabiani não é comercializada.

“A pecuária digital ou de precisão faz parte da quarta Revolução Industrial”, destacou Victor Valério de Carvalho, supervisor de Bovinos de Corte da DSM Latam, ao falar sobre as ferramentas digitais de monitoramento utilizadas na Fazenda Caçadinhaque, em sua maioria, estão cada vez mais acessíveis aos produtores. Softwares, sensores, câmeras inteligentes, plataformas e cochos automáticos, que vão das mais simples às sofisticadas, permitem o planejamento de estratégias mais eficientes e de forma rápida. “Câmeras acopladas em sistemas de Inteligência Artificial tiram fotos dos animais a cada 10 minutos, enquanto um humano faria isso só uma ou duas vezes ao dia. Assim, sei quanto tempo o cocho ficou cheio ou vazio, se o animal está passando fome ou desperdiçando alimento, e consigo tomar a decisão já no dia seguinte, por baia”, ressaltou Victor Valério, destacando também a possibilidade de tirar do confinamento os animais doentes ou que estejam abaixo do rendimento. “Dessa forma, temos o peso dos animais todos os dias, e não apenas o inicial e o final. E essas curvas individuais permitem a visualização dos animais de cabeceira e de fundo”, concluiu.

“É muito importante garantir que o prato do boi esteja cheio”, alertou o analista de Inovação e Ciência Aplicada da DSM, Alexandre Perdigão, ao estabelecer paralelos entre o uso da tecnologia de ponta e a eficiência nutricional. “Aqui no Centro de Inovação e Ciência Aplicada de Ruminantes, todos os produtos da DSM são testados e comprovados cientificamente antes de chegar aos pecuaristas. No pasto digital, um chip em cada animal avalia a ingestão da dieta e o comportamento”. Todos esses dados, acrescentou, são fundamentais para que a equipe de campo faça a melhor recomendação para cada produtor obter os melhores resultados zootécnicos e econômicos. “A fazenda 4.0 já existe e fica aqui em Rio Brilhante”, pontificou.

Para encerrar o primeiro Dia de Campo Virtual Tortuga®, um bloco de perguntas e respostas, com mediação de Luciano Morgan, gerente técnico nacional de Corte da DSM, tirou as dúvidas dos participantes do evento.

Fale conosco:

0800 110 6262

Sigam nossas redes socias:

Quer receber nossas novidades em primeira mão? Cadastre-se!