Biomin e Romer Labs agora fazem parte da DSM

Aquisição de duas empresas do Erber Group, especialistas em gestão de micotoxinas, ampliarão o portfólio de soluções sustentáveis em nutrição animal de precisão da companhia

Mylene Abud

Após concluir, por um valor total de 980 milhões de euros, a aquisição de duas unidades de negócio do Erber Group – a Biomin, especializada na gestão do risco de micotoxinas e do desempenho intestinal, e a Romer Labs, fornecedora de soluções diagnósticas para a segurança de alimentos para humanos e animais – a DSM já está trabalhando fortemente para a integração das novas empresas. “Estamos elaborando projetos para as ações conjuntas, avaliando as oportunidades trazidas pelos novos produtos e na união das equipes de campo em uma estrutura única, que acontecerá a partir de janeiro de 2022”, adianta Sergio Schuler, vice-presidente de Ruminantes da DSM.

Essa estrutura compreende a integração de 100% dos colaboradores da Biomim à equipe da DSM, formando um time único. “Acreditamos no conceito do one face to the customer, que é um mesmo canal de atendimento aos clientes, com uma só liderança. Neste momento, estamos aproveitando a sinergia entre as empresas e trabalhando com cross selling (vendas cruzadas), apresentando os produtos da Biomin para os nossos clientes e vice-versa. E já fechamos alguns negócios, tanto na América Latina como no Brasil”, informa Sergio Schuler.

Iniciada em junho de 2020,  a aquisição da Biomin e da Romer Labs marca o novo direcionamento global da DSM, fortalecendo o foco da companhia em Life Science e enriquecendo seu portfólio de soluções de nutrição animal de precisão, de forma a tornar a produção mais sustentável do ponto de vista ecológico, econômico e social.

Gestão de micotoxinas

Se a boa saúde intestinal é um pré-requisito para que os animais sejam eficientes e ambientalmente corretos em sistemas modernos de pecuária, a presença de micotoxinas no organismo pode não apenas comprometer a produção, mas também a saúde dos animais e a humana. Substâncias produzidas por fungos, as micotoxinas contaminam os produtos agrícolas, principalmente os grãos, e sua ingestão pode desencadear uma série de doenças.

Nos animais, a micotoxicose (enfermidade causada pela ingestão de alimentos contaminados por micotoxinas) pode provocar depressão do sistema imunológico, patologia hepática, função renal alterada, redução na taxa de crescimento, desordens reprodutivas, redução da eficiência alimentar, alteração na qualidade dos produtos e até levar à morte. Já em humanos, as micotoxinas podem desencadear diversos tipos de câncer (esôfago, fígado etc.), suscetibilidade à hepatite B, imunossupressão, hemorragias, síndrome de Reye, efeito anabolizante, vômitos e náuseas, dermatites e diarreia, além do risco de morte.

Por isso, é fundamental detectar e neutralizar essas substâncias. E essa é a expertise da Biomin que, através de sua tecnologia patenteada, fornece a proteção mais avançada cientificamente disponível contra as micotoxinas. “A ração e a silagem ingeridas pelos animais confinados são um prato cheio para a proliferação das micotoxinas. Se não há como evitar a presença dessas substâncias, elas precisam ser gerenciadas e biotransformadas, para que não façam mal aos animais ou às pessoas que consumirem a carne ou o leite produzidos por estes”, fala Ricardo Pereira, diretor Latam da Biomin e responsável pela integração da linha com as especialidades da DSM.

Biomin

Com sua tecnologia única e patenteada, a Biomin tem como carro-chefe o Micofix 5.0, que é composto por minerais (bentonitas e diatomitas), a eubactéria BBSH, a exclusiva levedura MTV (produtora de enzimas) e um pacote de bioproteção (produtos naturais que protegem o fígado, exercendo um papel desintoxicante). E atua contra as cinco principais micotoxinas que impactam a saúde animal: aflatoxinas, tricotecenos, fumonezina, zearalenova e ocratoxina. “Além das próprias micotoxinas, nossos produtos levam ácidos orgânicos e óleos essenciais. Também descobrimos microrganismos que se alimentam das micotoxinas e acrescentamos nas fórmulas”, fala Ricardo Pereira, informando, ainda, que os estudos da Biomin serão aprofundados na área de ruminantes.

“Fazemos uma escuta atenta e ativa das necessidades dos produtores rurais e

nossa função é também descobrir quais são as micotoxinas específicas que mais afetam o gado de leite, de corte e confinado. Assim, detectamos o problema, o quanto de perdas são provocadas por essas substâncias, e indicamos a melhor solução. Nós somos bons em achar agulha no palheiro e ainda teremos toda a equipe da DSM para nos ajudar”, elogia Ricardo Pereira.

A Biomin também é uma grande produtora de alternativas de alimentos fitogênicos e probióticos para antibióticos, o que complementa e fortalece a posição da DSM no mercado global de eubióticos em rápido crescimento para melhorar a saúde do intestino animal. “Não há conflito entre os portfólios, só vantagens. Com essa integração, as duas empresas têm uma oportunidade imensa para crescer”, afirma Ricardo Pereira.

“Ter um tratamento adequado pelos produtos da Biomin é muito complementar aos suplementos nutricionais que já fornecemos.  É um bom casamento em termos de know-how entre o nosso portfólio e excelência em assistência técnica com os produtos da Biomin”, corrobora Sergio Schuler.

Romer Labs

Para a gestão e a neutralização das micotoxinas, é preciso detectar quais são essas substâncias e onde estão presentes. E a Romer Labs está na vanguarda da tecnologia de diagnóstico, com soluções inovadoras de testes para a análise de micotoxinas em alimentos para animais, alérgenos e patógenos alimentares, bem como resíduos de medicamentos veterinários, com laboratórios credenciados na Áustria, Reino Unido, EUA e Cingapura.

A Romer Labs tem tecnologias de ponta para analisar os alimentos, tanto voltado aos animais como aos humanos, e descobrir quais são as micotoxinas presentes”, salienta o diretor Latam da Biomin, Ricardo Pereira. “É fundamental integrar o diagnóstico com o tratamento”, completa o vice-presidente de Ruminantes da DSM, Sergio Schuler.

O respeito ao meio ambiente é mais um traço que une as novas empresas à DSM. As ações de sustentabilidade da Biomin – primeira empresa a produzir aditivos para rações do mundo totalmente certificada na Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) da Agência de Proteção Ambiental dos EUA em 2011, e que tem como meta ser neutra em carbono até 2023 – estão totalmente alinhadas com a nova estratégia da DSM, o We Make it Possible (Nós tornamos isso possível), que reflete o compromisso da companhia de ser um agente de mudança, conduzindo diálogos globais, conectando diversos públicos de interesse do sistema agropecuário, pensando no futuro, gerando ideias e novas formas de trabalhar.

Biomin

A história da Biomin começou em 1983, na Áustria, quando Erich Erber definiu a base para o ERBER Group, adotando uma nova maneira de promover a nutrição animal ao privilegiar soluções naturais e inovadoras, que beneficiam os animais, os produtores e o meio ambiente. “No início, era uma planta para fazer premix para suínos. O dr. Erber sabia que era preciso garantir a saúde e a produtividade dos animais. Mas, sempre buscando soluções inovadoras, baseadas na mensagem da Biomin – NATURALLY AHEAD (Naturalmente à frente), fala o diretor Latam da Biomin, Ricardo Pereira.

A empresa foi a primeira a adicionar soluções minerais (bentonitas e diatomitas) à ração, para evitar que as micotoxinas fossem absorvidas pelos animais. “Mas percebeu-se que, apenas fazendo isso, o problema era só parcialmente resolvido. Então, a equipe de pesquisa da Biomin se uniu ao centro acadêmico de Tulln, considerada a meca da micotoxina no mundo, e descobrimos que outras formas biológicas poderiam inativar as micotoxinas, tais como BBSH, MTV e, por último, as enzimas (FUMzyme® e ZENzyme®) que quebram essas substâncias. O ZENzyme®, que será lançado na LATAM em 2021, marca a introdução da sexta geração da linha Mycofix”, destaca.

No ano de 1993, a Biomin começou a ser distribuída no Brasil pela Sanphar. Em 2007, a companhia adquiriu a Sanphar, que passou a ser o braço de saúde animal do grupo ERBER, e, depois, uma planta de fermentação em Piracicaba. E, em 2015, foi fundada a Biomin do Brasil.

Em outubro do ano passado, a Royal DSM finalizou a aquisição de duas unidades do Grupo Erber – Biomin e Romer Labs, por um valor comercial de € 980 milhões. A transação, que deverá aumentar os lucros no primeiro ano após a conclusão, ampliará a variedade de soluções especializadas de maior valor agregado da DSM.

Gestão dos riscos de micotoxinas por App

Como a incidência das micotoxinas muda a cada safra de grãos, cada grupo de animais precisa de soluções específicas e adequadas a esse desafio dinâmico, que varia de acordo com o período do ano e o lugar. Por essa razão, a Biomin oferece aos seus clientes a maior base de dados do mundo em micotoxinas, através do aplicativo Mycotoxin Risk Management (disponível para iOS e Android). O App traz dados coletados em várias regiões e sub-regiões do mundo, divididos por categoria animal, por grão/ingrediente, que apontam a ocorrência de micotoxinas por regiões e os indicadores de risco. “A ferramenta é fácil de usar e é alimentada por pesquisas atualizadas semestralmente”, enfatiza Ricardo Pereira, diretor Latam da Biomin.

Fale conosco:

0800 110 6262

Sigam nossas redes socias:

    Quer receber nossas novidades em primeira mão? Cadastre-se!